Riot Games proíbe manifestações políticas ao vivo no Mundial de LoL.

De acordo com um anúncio da Riot Games, não se pode mais fazer comentários ou manifestações políticas durante as transmissões ao vivo do Mundial de LoL.

Seguindo o mesmo raciocínio da Blizzard, a desenvolvedora fez um pronunciamento vindo do chefe global de esports John Needham. Na carta, recomenda-se que casters e jogadores participantes do Mundial de League of Legends (LoL) não discutam temas políticos e sociais ao vivo. Conforme dito por ele, a intenção é “… manter suas transmissões focadas no jogo, no esporte e nos jogadores”. 

Além disso, na carta espera-se que o jogo una as pessoas e não o contrário.

Nossa decisão também reflete que temos funcionários e fãs em regiões em que houve o risco (ou ainda há) de agitação política ou social, incluindo lugares como Hong Kong. Nós acreditamos que temos a responsabilidade de fazer o nosso melhor para que pronunciamentos ou ações em nossas plataformas oficiais (intencionais ou não) não escalem possíveis situações sensíveis.

Recentemente, o pro player Chung “blitzchung” Ng Wai foi banido da Hearthstone Grandmasters pela Blizzard. Ele teria se manifestado ao vivo a favor do movimento social que pede a independência de Hong Kong, na China. Após o banimento, alguns fãs passaram a boicotar os jogos da empresa.

Fonte do artigo